Contaminantes

A necessidade crescente do controle sanitário de alimentos se volta agora com maior intensidade para o controle de contaminantes químicos.

O MAPA – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, vem desenvolvendo programas específicos para o controle de contaminantes em pescado, carne, vegetais e seus derivados e subprodutos, analisando resíduos de pesticidas, micotoxinas, histamina e outros.

Micotoxinas

 

Micotoxinas são contaminantes químicos produzidos por fungos específicos em certas condições de temperatura e umidade, que se desenvolvem dependendo das condições geográficas, dos métodos de produção e do armazenamento.

Existem alimentos onde o desenvolvimento de micotoxinas é favorecido, tais como: amendoim, milho, castanhas, café e leite.

Micotoxinas são particularmente importantes no controle sanitário de alimentos, visto que não são destruídos por nenhum processo de fabricação, exceto no refino de óleos.

A CERELAB realiza ensaios de Aflatoxinas (B1 + B2 + G1 + G2).

Histamina

 

O controle de histamina na exportação de pescado fresco é hoje uma exigência do mercado internacional, com limites estabelecidos pelo FDA, Comunidade Européia e no Mercosul.

O perigo da presença de histamina no pescado é que este pode conferir toxicidade ao produto, mesmo antes deste ser considerado deteriorado ou organolépticamente inaceitável.

A intoxicação histamínica é particularmente difícil de ser controlada, uma vez que resiste ao tratamento térmico e pode estar presente apesar do produto estar comercialmente estéril.

A CERELAB está habilitada a realizar ensaios de histamina em pescados para exportação para a Comunidade Européia.